terça-feira, 29 de maio de 2007

Pai dos Burros

Quando queremos nos expressar de forma escrita, mesmo no mais simples bilhete num papel de pão, devemos nos atentar aos possíveis erros gramaticais e de concordância. Por mais singelos que sejam, os erros de português acabam desviando a atenção do leitor ou até mesmo tirando a credibilidade do que queremos expressar.

Tenho uma “amizade” com uma garota (notem que amizade está entre aspas pois na não existe amizade entre um homem e uma mulher) que recebeu uma carta de amor toda apaixonada do pretendente, só que ao me mostrar ela mais ria dos erros de escrita do que o próprio conteúdo amoroso. Ela até confessou que sentiu uma quedinha por ele mas que a carta não cumpriu bem seu papel. Esse é um exemplo pequeno mas mostra onde quero chegar.

Antes de qualquer texto que postarei aqui, primeiro quis “bater nessa tecla” mais uma vez pois quando se escreve para um grande número de pessoas das mais diversas culturas e formação nossa responsabilidade dobra. Cansamos de ver, na internet principalmente, erros absurdos na forma escrita e na concordância dos textos. Isso piora quando vem de mídia especializadas como revistas, jornais ou livros. Claro que errar é humano, mas devemos antes de tudo nos precaver.

Nossa língua portuguesa é uma das mais difíceis e cheias de regras, porém com uma ajuda básica de nosso pai, o pai-dos-burros, teremos uma internet mais inteligente, e não “imtelijenti”. Num país que o próprio presidente não domina totalmente sua língua nativa não podemos esperar muita coisa do resto da população, mas podemos mudar esse quadro.

Creio que ninguém perde tempo escrevendo algo para o leitor abandonar seu texto já na primeira linha. Eu mesmo quando começo a ler algo e vejo que está na linguagem das pré-adolescentes fã do RBD ou dos, cada vez mais comuns, Emos já paro de ler na hora, mesmo que o conteúdo pareça interessante.

“Ningem mereci lê textu ixcritu axxim”. Parafraseando Batoré, você acha que é bonito ser feio?

Como disse logo acima sobre o tão útil e esquecido Dicionário, ele deve ser nosso aliado na hora da escrita e também leitura. O termo pai-dos-burros é bem controverso pois muitos gostariam de mudá-lo para pai-dos-inteligentes, porém no próprio dicionário Aurélio 2º Edição que tenho aqui ao meu lado diz o seguinte:

Pai-dos-burros: sm. Bras. V. Dicionário.

Para aqueles que tem preguiça até de adquirir conhecimento, o Google possui uma espécie de corretor de erros quando você faz a pesquisa com a palavra digitada erroneamente e também podemos consultar online no site Priberam.

Vou ficando por aqui pois já estou parecendo aquele velho chato e até mesmo o professor de português que nos torrava a paciência nos tempos de escola. Salve, professor!

Seguem algumas palavras para você exercitar a procura em dicionários: locupletar, espargir, coarctar.

Não esqueçam que “herrar é umano”, mas não custa nada evitar.


Até a próxima.

Um comentário:

teste disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.