segunda-feira, 4 de junho de 2007

Nerd? Não. Louco? Tampouco.

Muitas pessoas facilmente julgam o próximo apenas por sua aparência e no caso dos Cordeiros Maus, que escrevi em meu primeiro texto, e pessoas ligadas ou que trabalham na web são ainda mais considerados nerds ou até mesmo loucos.

Claros que muitos nessa área são verdadeiros nerds, como podemos ver na foto abaixo, que foi amplamente divulgada semana passada, vi essa imagem em uns 10 blogs diferentes. Porém o restante leva essa fama sem merecer o peso do fardo.


Orgulhos da mamãe.

Até em conquistas amorosas temos que fazer um esforço a mais, além do que já é necessário normalmente, apenas para desfazer essa imagem. Pior são aquelas que nem chegam perto por causa da fama infame. Se isso está acontecendo, está na hora de mudar o visual um pouco e também algumas atitudes, incluindo parar de andar com aquela turminha de amigos, na qual você acaba sendo confundido com um, que passam o dia todo a falar de games e informática. Péssimo!


Para piorar existem os loucos. Sim, loucos mesmo, de tão alienados do mundo acabam tendo problemas psíquicos e não tem mais volta. O ultimo caso famoso disso foi do sul-coreano Cho Seung-hui (na foto ao lado) que assassinou 32 pessoas no campus de uma faculdade em Virgínia-USA. Amigos que moravam com ele nas dependências da faculdade disseram que Cho era uma pessoa fechada e vivia sonhando a fazendo planos com a namorada imaginária. Eu hein!

Veja aqui o perfil psicológico do assassino de Virgínia.

Claro que existem casos de sucesso como Bill Gates, totalmente nerd em seu tempo de estudante, e Sigmund Freud, considerado louco por muitos.

Portanto, não aceitaremos sermos confundidos com os tipos já citados acima, basta de pré-conceitos. Afinal de contas, nem todo italiano gosta de massa, nem todo pescador é mentiroso e nem todos que gostam de reggea fumam maconha.


Até a próxima.

Um comentário:

Muneo disse...

Pois é, eu trampo com computação e sei o quanto tem gente sem noção. Já sai com uma turma que tinha umas garotas lindas no meio (evidentemente de outra área - biologicas ou humanas) e os caras nerds ficavam falando de anime, filmes hi-fi e computação. Olhava pra cara das garotas dava até dó, uma olhando pro teto, outra olhando pra unha, outra procurando ponta dupla. Ai depois nerdezinho vai reclamar: Pô, as meninas eram muito fechadas, não falavam!